Caixa e BB cortam juros no financiamento da casa própria; compare as taxas

06/06/2012 - 12h00


Aiana Freitas
Do UOL, em São Paulo
Comentários 15
A Caixa Econômica Federal e o Banco do Brasil cortaram, nos últimas dias, as taxas de juros cobradas do crédito imobiliário. Na "guerra" dos juros do financiamento da casa própria, as taxas ficaram muito próximas, variando apenas um ponto percentual entre uma instituição e outra em alguns casos.
Até agora, os grandes bancos privados brasileiros ainda não anunciaram medidas para baratear o financiamento imobiliário.
Todas as instituições, porém, vêm promovendo cortes nos juros cobrados de outras linhas de crédito, como cheque especial, rotativo do cartão de crédito e crédito consignado.

COMPARE AS TAXAS DO CRÉDITO IMOBILIÁRIO (AO ANO)

INSTITUIÇÃO IMÓVEIS DE ATÉ ATÉ R$ 500 MIL IMÓVEIS DE MAIS DE R$ 500 MIL
BANCO DO BRASIL De 7,9% a 8,9% De 9% a 10%
BRADESCO De 8,9% a 10,5% 11%
CAIXA De 7,8% a 8,85% De 8,9% a 9,9%
HSBC De 9,5% a 10,75% 11%
ITAÚ UNIBANCO Não divulgado* Não divulgado*
SANTANDER 11% 11%
  • Imóveis de até R$ 500 mil são financiados pelo SFH (Sistema Financeiro de Habitação)
  • As taxas são acrescidas da TR (Taxa Referencial)
  • * O Itaú informa apenas que as taxas são calculadas de acordo com o imóvel e o perfil de crédito de cada cliente

Caixa corta juros e estende prazo para 35 anos

As reduções de juros promovidas pela Caixa valem a partir de segunda-feira (11) para os financiamentos feitos com recursos da poupança, mas não englobam imóveis financiados dentro do programa "Minha Casa, Minha Vida", do governo federal. Consumidores que mantiverem relacionamento com o banco (sendo clientes de outros produtos, como conta corrente e cartões, por exemplo) terão acesso a taxas mais baixas.
Imóveis de até R$ 500 mil poderão ser financiados com juros que partem de 7,8% e chegam a 8,8% ao ano mais TR (Taxa Referencial). Para imóveis de valores superiores a R$ 500 mil, os juros vão variar de 8,9% a 9,9% ao ano, mais TR.
A Caixa também aumentou o prazo máximo de financiamento de imóveis, que era de 30 anos, para 35 anos.
Pelas regras novas, uma pessoa com renda familiar de R$ 10 mil, por exemplo, mesmo que não tenha nenhum tipo relacionamento com o banco, poderá financiar até 280 mil em até 35 anos. Antes das mudanças, essa pessoa  conseguiria um financiamento de R$ 267 mil com o mesmo banco.

Banco do Brasil divulga novas taxas

As novas taxas do Banco do Brasil passaram a valer na última segunda-feira (4). Clientes com conta-salário no banco têm acesso a juros menores. Quem fizer o pagamento das prestações da casa própria em dia também terá acesso a taxas mais baixas com o passar do tempo.
No caso do Banco do Brasil, os imóveis de até R$ 500 mil podem ser financiados a taxa que variam de 7,9% anuais, mais TR, a 8,9% ao ano, mais TR. As taxas anuais para imóveis de valor superior a R$ 500 mil vão de 9% a 10%, mais TR.
Segundo o Banco do Brasil, um financiamento no valor de R$ 240 mil em 25 anos, por exemplo, poderá representar uma economia de até R$ 2.272 por mês se o cliente tiver relacionamento com o banco e pagar as prestações em dia. Nessas condições, a taxa cobrada será de 7,9% ao ano. Ao fim do financiamento, a economia chegará a R$ 28 mil, no total, para esse cliente, segundo o BB.

Comentários